26/12/2018

Festas e Baladas sem acidentes


Compartilhe:

Festas e Baladas sem acidentes

Profissionais dão dicas de como manter a diversão, com proteção, de adultos e crianças em eventos organizados na piscina

Por Sergio Kapustan

“A prevenção é a alma do negócio”. A frase é do porta- -voz do Corpo de Bombeiros de São Paulo, capitão Marcos Palumbo, ao comentar as baladas, festas de formaturas, celebrações do Natal e Ano Novo e o início da temporada de verão. É o período em que adultos, jovens e crianças lotam as piscinas de clubes, associações ou vão mais frequentemente a sítios, aumentando o risco de acidentes – dentro e fora dos equipamentos aquáticos. Quando o assunto é cair na piscina, os especialistas recomendam aos organizadores desses eventos que façam primeiro uma inspeção do local in loco ou por meio de fotos (o WhatsApp é uma excelente ferramenta de apoio), passando essas informações posteriormente aos profissionais e recreadores que vão trabalhar. É preciso saber diferenciar grupos de crianças, que por sua natureza são curiosas, e manter adultos as observando em todos os momentos. Cuidados redobrados exigem também adolescentes, jovens e adultos em festas que oferecem bebida alcoólica, que, quando ingerida sem controle, podem provocar acidentes, como quedas próximo à piscina e afogamento. Além dessas informações, eles afirmam que o ideal é contratar um guarda-vidas, mas reconhecem que a medida é quase sempre descartada por envolver um custo adicional e falta de informação. Por isso, reforçam a importância de saber as condições do local em que será a realizada a festa. Marcos Palumbo observa que as crianças devem sempre ser priorizadas. “De maneira geral, a criança vai se divertir em um local que não conhece e não identifica áreas de risco”, justifica o bombeiro.