29/09/2022

Criança com Segurança


Compartilhe:

A primavera chegou e para as crianças tudo são flores e diversão! Mas crianças necessitam de cuidados redobrados para curtir o sol, praia, piscina e parques com segurança. Durante a primavera os passeios à praia e piscinas começam a ser mais frequentes, o que significa cuidado redobrado em relação ao sol, alimentação, vestuário e principalmente acidentes. Quando se fala em crianças, o assunto fica ainda mais sério por serem mais sensíveis que os adultos, e por isso é preciso adotar hábitos especiais para elas.

 

Cuidados com o sol

Algumas regras devem ser seguidas em relação ao sol:

Em bebês com menos de 6 meses de idade. Mantenha-os fora do sol. Quando sair na rua, use sempre sombrinhas para o sol. Para crianças de 6 meses ou mais:

-Evite o sol entre 10 e 16 horas, quando a radiação solar é mais intensa.

-Proteja a criança com chapéus e roupas.

-Os melhores filtros solares para crianças são os de fator de proteção solar 30 (FPS 30) ou maior. O ideal é aplicar 30 minutos antes da exposição, para aumentar a eficiência.

Alimentação

A alimentação no período da primavera é simples, não devendo se diferenciar muito dos hábitos da criança. Muito líquido e frutas, nada de comidas pesadas e frituras. Deve-se ingerir pelo menos 2 litros de água natural, sucos, chás, água de coco.

Inclua saladas bem coloridas na dieta. Frutas e legumes ricos em caroteno e em vitaminas, que deixam a pele mais protegida contra os raios solares, são bastante indicados nessa época. Entre eles estão: as folhas verdes escuras e os legumes como: espinafre, couve, folhas de mostarda, brócolis, pimentão, tomate, nabo, cenoura, abóbora e abobrinha. Frutas: laranja, ameixa, ameixa seca, nectarina, cereja, pêssego, melão, manga e mamão. 

Prevenção de acidentes e outros cuidados

Muitas crianças sentem verdadeiro fascínio pelo mar ou piscina, e por isso podem dar mais trabalho nestas situações. Para evitar os sustos, siga algumas instruções:

1) As crianças devem sempre usar boias e coletes salva-vidas quando entrarem no mar ou piscina, principalmente as menores.

2) Jamais deixe seu filho sozinho em uma piscina. Esteja próximo, e se ele for pequenino esteja com ele, não se descuide nem por um minuto. Um simples descuido é suficiente para que ele afunde e se afogue.

3) Alarmes e capas de piscina garantem mais proteção, mas não eliminam o risco de acidentes. Esses recursos devem ser usados em conjunto com as cercas e a constante supervisão dos adultos.

4) Crianças devem aprender a nadar assim que possível. Se os pais ou responsáveis não sabem nadar, devem aprender também.

5) Atenção redobrada com os ralos das piscinas e aparelhos de sucção e higienização da água, as vezes pode ocorrer algum erro na instalação ou manutenção e o aparelho ser de maior potência que o necessário; exercendo assim uma força de sucção maior do que o necessário, podendo ocasionar acidentes.

IMPORTANTE: em caso de acidentes o rápido socorro é fundamental para o salvamento da criança que se afoga, pois a morte por asfixia pode ocorrer em apenas 5 minutos. Por isso é tão importante que pais, responsáveis, educadores e outras pessoas que cuidam de criança aprendam técnicas de primeiros socorros.

 

Fonte: Revista Pool-life Edição 77